Plaquinha resolve?

Checagem bioeletrônica da "plaquinha"

Checagem bioeletrônica da "plaquinha" com EMG e escaner oclusal

Essa é uma pergunta que os pacientes sempre me fazem, pois com freqüência, conversam com outros pacientes pela internet e percebem que para algumas pessoas a “plaquinha” funciona e para outras não. Mas por que isso acontece?

Porque normalmente as plaquinhas são colocadas sem um diagnóstico real do problema, logo fazer ela funcionar passa a ser uma questão de sorte.

Com freqüência chegam pacientes aflitos no meu consultório, com uma plaquinha numa caixinha colorida, dizendo que piora quando a utiliza ou mesmo que não sente diferença nenhuma. Quando fazemos alguns testes funcionais como uma eletromiografia mastigatória, que é um estudo computadorizado da atividade dos músculos, percebemos que a plaquinha não está corrigindo nada do funcionamento mandibular, então como ela poderia tratar uma “disfunção” da ATM? Muitas vezes estas plaquinhas estão até mantendo a mandíbula numa posição desconfortável para a ATM.

Placas oclusais NÃO são como sapatos que têm uma numeração e a pessoa tem apenas de escolher o tamanho certo. As placas oclusais, ou melhor, os intermediários oclusais são instrumentos para se conseguir atingir algum objetivo específico como descomprimir ou mudar a posição mandibular e precisa ser confeccionada de acordo com o diagnóstico, com os exames de imagem e individualizada bio-eletronicamente para que possa, de fato, funcionar a favor do organismo.



Comentários postados (98)

Dr. Eu comecei há 6 meses a ter estalos, antes eu soh sentia um certo cansaço ao comer e falar mas nada de dor ou estalo, comecou há 6 meses e meu dentista disse q iria melhorar pois estava tirando o aparelho atém que em ajneiro já estava insuportavel os estalos e ele mandou fazer uma placa de acrilico mas nesse meio tempo, minha boca comecou a travar pela manha, por 1 semana ateh q no sabado travou pro dois dias dando mt dor. Ele me deu a palca q nao resolveu em nada e depois de 2 semanas travou de novo. Mandou fazer uma placa mais grossa mas a essa altura nao confiante mais no médico fui em busca de um especialista em ATM, acabo de voltar e gostei mt da consulta mas li essa materia sobre a placa e estou na duvida, ele me indicou essa meorelaxante (disse q nao tenho bruxismo apesar de apertar os dentes e mandou nao usar a outra) e tirou o molde, a dúvida é, essa placa nao vai ser generica como diz no artigo? eu já gastei tt com essas placas…só quero ter qualidade de vida de novo. Ele diz que estou num grau 7 (de 0 a 10) da doença. É possível ter 100% da abertura da boca depois do tratamento correto?

Michele, tudo depende de como ele irá gerenciar os fenômenos relacionados ao uso da placa como o efeito que ele produz nos músculos e na mastigação. Isso é um tema que você precisa conversar com ele.

Leia aqui também:

Dúvidas sobre tratamentos
Placa miorrelaxante, placa de Michigan, placa estabilizadora e disfunção da ATM

Atenciosamente,
Marcelo Matos

Dr. começei a ter estralos ha uns 5 anos, mas com o passar do tempo tive muitas dores e foi só assim que fui procurar ajuda. De inicio fui a uma Odonto, e ela colocou somente aparelho, dizendo que depois teria que fazer uma cirurgia. Mas não funcionando, procurei um especialista em ATM e ele tirou o aparelho e me passou uma plaquinha para dormir. Porém, NÃO melhorando, fui atras de outro especialista, na cidade de Maringa- PR e ele me passou outra plaquinha, mas de um jeito de coloca-se minha mandibula “no lugar” (ela pega a parte de cima e tem uma “rampa” para deixar a mandibula no devido lugar), e tenho que usar ela 24 horas por dia, tirando somente para higiene. De inicio, a dor sumiu, mas ja fazem 3 meses e meio do tratamento e a dor esta voltando, mesmo usando a plaquinha. Só que não consigo achar em nenhum lugar sobre esse tratamento e por ter lido seu texto, fiquei um pouco mais apressiva sobre. O Dr. sabe sobre esse metodo? Está errado?

Laura, pela sua descrição parece ser alguma técnica baseada na ortopedia funcional dos maxilares. Converse com o dentista sobre o retorno da dor, pois existem muitas razões para isso acontecer, independente da placa funcionar ou não.

Atenciosamente,
Marcelo Matos

Comente sobre este assunto

Notifique-me sem que eu precise comentar: